ÚLTIMAS NOTÍCIAS

FALTA DE ATENDIMENTO VIRA CASO DE POLÍCIA EM POSTO DE SAÚDE DE MARÍLIA




Duas viaturas da PM em frente ao prédio da USF Palmital. (Divulgação/Marília Notícias)

O técnico em fibra ótica Júlio César da Rocha, 36 anos, entrou em contato com a Ouvidoria da Prefeitura de Marília e chamou a Polícia Militar até a Unidade de Saúde da Família (USF) Palmital, localizada na zona Norte da cidade.

Adolescente doente que aguardava atendimento. (Divulgação/Marília Notícias)

Duas viaturas se deslocaram até o local e orientaram o homem, que estava bastante nervoso após a médica que trabalha no local supostamente ter se negado a atender seu filho, de 13 anos.


O garoto estaria com sintomas como coriza e dor nos olhos e chegou até o local para ser atendido por volta das 11h.

Foi feito o acolhimento do adolescente e por volta das 12h, a médica teria informado que sairia para almoçar e não faria o atendimento.

A informação é de Júlio César, que não se conformou com a atitude. “Nos disseram para esperarmos o retorno da médica ou procurarmos outro lugar para receber atendimento”, disse o homem.

“Depois de ter avisado que não atenderia, a médica ainda ficou esperando quase 15 minutos seu marido ir busca-la para almoçar. O homem entrou dentro do consultório, eles ficaram algum tempo conversando e saíram”, relata.


De acordo com o técnico em fibra óptica, seu filho poderia ter sido atendido nesse meio-tempo, o que não ocorreu. “É muito descaso”, reclama.

Outro lado

A Secretaria Municipal da Saúde informa que, conforme informações da Coordenação de Atenção Básica, o paciente foi acolhido e solicitado que aguardasse alguns instantes, para avaliação e classificação de risco.

Unidade Básica de Saúde 'Palmital'. (Divulgação/Marília Notícias)


*A médica da unidade estava em outro atendimento, este, com maior risco de agravo que o paciente reclamante. Realizando o atendimento conforme a prioridade, a equipe informou que o paciente poderia aguardar. O mesmo queixou-se da espera, o qual foi orientado sobre a possibilidade do atendimento em unidade de Pronto Atendimento. O mesmo também recusou o encaminhamento”, notificou.

A Secretaria Municipal da Saúde esclareceu que o atendimento nas USFs, bem como toda a rede de Atenção Básica, é realizado com acolhimento com classificação de risco. As unidades USFs são dimensionadas (composição de equipe), conforme protocolo do Ministério da Saúde.

FONTE: Marília Notícias