PORTAL DE NOTÍCIAS

MULHER TEM CORPO QUEIMADO EM PLENO DIA 8 DE MARÇO EM BAURU




Mulher teve o corpo queimado sob o viaduto da Duque de Caxias com a Nações Unidas, em Bauru. (Divulgação/JC Net)

Por JC Net

Em pleno 8 de março, Delegacia de Defesa da Mulher iniciou apuração de tentativa de feminicídio contra uma moradora de rua.


A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) em Bauru, instaurou inquérito nessa sexta-feira (8) para apurar as circunstâncias sobre uma moradora de rua, de 47 anos, que foi socorrida, no fim da noite anterior, com várias queimaduras, em uma área sob o viaduto da Duque de Caxias com a Nações. Ela está internada em estado grave no Hospital Estadual e, segundo informações da PM, teve 80% do corpo queimado. Após diligências, a delegada responsável pelo caso, Priscila Bianchini, o registrou como tentativa de feminicídio. O fato ocorre em meio à comoção da jovem que foi carbonizada pelo namorado em São Paulo.

O companheiro da vítima, um homem de 39 anos, foi acusado de atear fogo na mulher e chegou a ser detido pela PM, mas negou o crime. Na delegacia, ele sustentou a versão de que sua companheira, com quem mora na rua há cerca de um ano, teria se queimado sozinha com álcool em um fogão improvisado no chão ao tentar cozinhar arroz e linguiça. O casal, que seria usuário de drogas, mora com outras pessoas em uma área invadida, sob o viaduto da Duque com a Nações, que abrigava um antigo clubinho de biriba de aposentados (sentido Bairro-Centro).


A mulher foi socorrida com queimaduras por volta das 23h de quinta-feira (7). Horas depois, policiais militares foram ao local para averiguar as circunstâncias e ouviram uma testemunha de 28 anos, que disse ter ouvido a moça reclamar de ter sido ferida por seu companheiro por ciúmes.

"Iniciamos as buscas pelo tal companheiro e o encontramos em uma praça na Vila Universitária. Ele negou o crime, mas o encaminhamos para a DDM em virtude da suspeita", comenta o cabo Marcelo Barreira. Participaram das buscas ainda o soldado Leandro dos Santos, o Comando de Força e o Comando Grupo Patrulha Uno.


LIBERADO

Com base no relato apresentado pela PM, a delegada registrou o boletim de ocorrência e solicitou a realização da perícia técnica no local em que a suposta tentativa de feminicídio ocorreu. A prisão temporária do acusado, no entanto, foi indeferida pela Justiça e o homem acabou liberado no final da tarde dessa sexta-feira (8).

"A vítima está sem condições de falar por enquanto, mas será ouvida e solicitamos corpo de delito. A testemunha também será procurada. Se, na versão da vítima, for confirmada a autolesão, a natureza do caso muda e a investigação é arquivada. Caso contrário, se ela disser que foi ferida, representaremos pela prisão novamente", comenta a titular da DDM. "Sabemos que, por medo ou por amor, muitas mulheres defendem seu companheiro nessas horas, infelizmente", finaliza Bianchini.




WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 – WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699 - WHATSAPP (14) 99606-1699